23 anos de luto: pilotos e escuderias prestam homenagens à Ayrton Senna
01/05/2017 - 21h50 em Mundo

Astro brasileiro estreou na Fórmula 1 em 1984 no GP do Brasil quatro dias após completar 24 anos

Ayrton Senna no cockpit de um dos carros da Fórmula 1

FOTO: G1/ARQUIVO

O dia primeiro de maio marcou a morte de um dos ídolos do Brasil, Ayrton Senna. Nesta segunda-feira, completam 23 anos da morte de um dos maiores pilotos de todos os tempos e diversas pessoas e instituições prestaram homenagens ao tricampeão mundial.

Lewis Hamilton, que também já conquistou três títulos e é fã de Ayrton Senna, foi um dos primeiros a se manifestar em suas redes sociais. O britânico chamou o brasileiro de "rei", "herói" e "melhor de todos os tempos" em sua publicação.

"Nunca esquecido. Herói. Melhor. Melhor de todos os tempos. Descanse em paz Ayrton. Rei", escreveu Lewis

Quem também se manifestou foi Alain Prost, que foi quatro vezes campeão mundial, companheiro do brasileiro na McLaren. O francês inclusive foi um dos encarregados de carregar o caixão de Senna.

"Sempre lembro dessa data, Ayrton", publicou Prost.

Em âmbito nacional, Corinthians, time para qual o tricampeão brasileiro torcia, Felipe Massa, o Instituto Ayrton Senna e o autódromo de Interlagos reverenciaram o piloto que teria 57 anos se não tivesse falecido após sofrer acidente na Itália.

Ayrton Senna da Silva estreou na Fórmula 1 em 1984 no GP do Brasil quatro dias após completar 24 anos. Depois de sua primeira temporada, em que ele correu pela Toleman e terminou em nono, o piloto brasileiro foi para a Lotus, onde começou a ter resultados mais expressivos.

Seu primeiro título foi na McLaren, escuderia que defendeu por sete temporadas e onde conquistou seus três títulos da F1. Além disso, ele foi duas vezes vice-campeão e uma vez quarto colocado pela equipe britânica. Em 1994, Senna foi para a Williams e só disputou três GPs, sendo que não completou nenhum deles e no de San Marino, Itália, ele sofreu acidente fatal.

Durante suas 11 temporadas na F1, o ídolo brasileiro venceu 41 Grand Prêmios, largou 65 vezes na pole position, fez 80 pódios e defendeu quatro equipes. Sua primeira vitória foi no GP de Portugal, em 1985 e sua última, no GP da Austrália em 1993.

Confira outras homenagens:

"Sentimos sua falta", escreveu Felipe Massa.

"Sem tempo para tristeza hoje. Ayrton Senna está ganhando uma praça em sua memória em São Paulo, no país em que nasceu, Brasil", tuitou o autódromo de Interlagos

"Nunca esquecido", publicou a Fórmula 1.

"Ayrton Senna, uma verdadeira lenda. Se foi, mas nunca será esquecido", escreveu a escuderia Williams

"Se foi, mas sempre está em nossos corações. Há 23 anos, perdemos um amigo e uma lenda do automobilismo", tuitou a McLaren.

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE