Lula aceita assumir ministério no governo Dilma, diz agência
15/03/2016 22:20 em Política

Foto: Ilustração

Lula ficou sob holofotes desde que foi levado em condução coercitiva a prestar depoimento na Polícia Federal

Lula ficou sob holofotes desde que foi levado em condução coercitiva a prestar depoimento na Polícia Federal

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aceitou ocupar um ministério no governo da presidente Dilma Rousseff, afirmou nesta terça-feira (15) uma fonte do Palácio do Planalto.

Segundo a fonte, que pediu anonimato, o mais provável é que o ex-presidente assuma a Secretaria de Governo, no lugar de Ricardo Berzoini, mas com mais poderes.

O ex-presidente estará na tarde desta terça-feira em Brasília para ter uma última conversa com Dilma para acertar o formato do trabalho que fará no governo.

Havia dúvidas sobre qual pasta o ex-presidente aceitaria, Casa Civil ou Secretaria de Governo, já que a Casa Civil teria, em tese, mais poder. Ao mesmo tempo, a Casa Civil inclui também uma grande parte administrativa que Lula não gostaria de ter que lidar para poder se concentrar no rearranjo político do governo.

Emergência

No final desta manhã, com a homologação e divulgação da delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), a presidente convocou seus ministros mais próximos — entre eles José Eduardo Cardozo, da Advocacia-Geral da União, Jaques Wagner, da Casa Civil, Ricardo Berzoini, da Secretaria de Governo, e o chefe de gabinete da Presidência, Giles Azevedo — para uma reunião de emergência, tentando avaliar o impacto das novas denúncias.

Dilma convocou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, para dar explicações sobre as acusações de que teria oferecido dinheiro e ajuda a Delcídio, ex-líder do governo no Senado, para que ele não fizesse a delação.

De acordo com duas fontes palacianas, a presidente ficou assustada com o espectro da delação de Delcídio e sem condições de avaliar o impacto que as novas denúncias terão em seu governo. Na delação haveria uma gravação de Mercadante falando com um assessor próximo de Delcídio, Eduardo Marzagão, e oferecendo dinheiro para que o senador não fizesse a delação.

Alvo principal da 24ª fase da Operação Lava Jato, chamada Aletheia, Lula ficou sob holofotes desde que foi levado em condução coercitiva a prestar depoimento na Polícia Federal.

O ex-presidente passou a considerar a hipótese de se tornar ministro depois que a juíza Maria Priscilla Ernandes, da 4ª Vara Criminal de São Paulo, decidiu, nesta segunda-feira (14), transferir para o juiz federal Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava Jato na primeira instância, a decisão sobre o pedido de prisão preventiva contra ele.

Foro privilegiado

Com o foro privilegiado, Lula passa a ser julgado direto em última instância. Isso significa que todo o processo tem de ser remetido para o STF (Supremo Tribunal Federal). Assim, o ex-presidente passa a ser julgado pelo Supremo, e não mais pelo juiz Sérgio Moro.

Oposição

A oposição já prepara uma ação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva caso ele realmente aceite um ministério no governo da presidente Dilma Rousseff.

A junta jurídica do DEM redigiu uma ação popular por desvio de finalidade para garantir uma liminar que suspenda a nomeação do petista tão logo isso aconteça. O partido ingressará com a ação na Justiça Federal.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE