Militares mantêm 'Operação Padrão' e convocam assembleia para votar proposta
14/04/2018 12:48 em POLICIA

Membros da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros decidiram manter a "Operação Padrão", que foi deflagrada no último dia 11, por tempo indeterminado. A categoria agendou uma assembleia para a próxima terça-feira (17) para votação da proposta apresentada pelo Governo do Estado durante reunião nesta sexta-feira (13), na Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), no centro de Maceió. 

De acordo com o coronel J. Cláudio, presidente da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (Assomal), o Estado ofereceu reajuste salarial de 10% dividido em 4 vezes, sendo 4% em 2019 e 2% nos seguintes anos. "Estivemos até agora com a cúpula, tentando, exaustivamente, avançar ao máximo para  trazer as melhorias que defendemos. Muitos avanços, destravamos e alcançamos algumas propostas", destacou.

O oficial falou ainda que o Governo se comprometeu a encaminhar o Projeto da Lei de Promoção para a Assembleia Legislativa em, no máximo, 15 dias. Além disso, a proposta aponta que será reajustada as verbas de alimentação e uniforme. 

 

Militares acamparam à porta da Seplag para acompanhar reunião com governo

FOTO: ANA CLARA MENDES

Em nota, o Governo do Estado informou que a nova proposta, conforme a Seplag, dá aos militares a possibilidade de um reajuste total, que será dividido em quatro anos.

 

O secretário de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio, Fabrício Marques, ressaltou que, após muito esforço da equipe de negociação, foi possível chegar a esse montante.

Agora, a expectativa é que, nos próximos dias, as associações militares decidam se irão aceitar ou não a proposta apresentada. "Vale relembrar ainda que somente no governo Renan Filho, a folha salarial dos militares alagoanos - ativos, inativos e pensionistas - teve um aumento de 50,6%, saltando de R$ 850 milhões para R$ 1,3 bilhão no período. Para se ter uma ideia dessa valorização, a folha total das demais categorias teve um acréscimo de 21%", destacou a nota. 

 

Estiveram presentes na reunião representantes da Seplag, da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) e da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz).

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE