Com alistamento até dia 9, TRE espera aumento de 3% nos eleitores de Alagoas
04/05/2018 15:42 em POLÍTICA

Termina na próxima quarta-feira (09) o prazo para o alistamento eleitoral e, em Alagoas, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) está convocando as pessoas interessadas em exercer a cidadania no pleito deste ano. A expectativa é que o número de eleitores cresça uma média de 3% este ano, no Estado. Até agora, a poucos dias de encerrar o cadastro, este percentual de aumento não chegou a 1%. 

São esperados 50 mil novos eleitores e a Justiça Eleitoral informou que apenas 19,3 mil foram deferidos.

O presidente do TRE/AL, desembargador José Carlos Malta Marques, convocou a imprensa, na manhã desta sexta-feira (04), para tratar sobre o calendário e fazer o chamamento público a quem tem pendências a resolver com a Justiça Eleitoral.

Segundo o desembargador, o prazo de alistamento é nacional e não terá prorrogação. Com isso, o eleitor não poderá votar se não tiver os dados inseridos ou com pendências. Quem deixar de votar fica com restrições, caso ele precise do título, e está sujeito ao pagamento de multa no valor de R$ 3,50. Somente após 10 dias do segundo turno é que o eleitor poderá retomar a busca pelo documento.

 

TRE/AL convoca eleitores aptos ao alistamento; prazo acaba na semana que vem

FOTO: JOSÉ FEITOSA

Malta Marques apela a todas as pessoas que estão em condições de se alistarem, que procurem a Justiça Eleitoral nos três postos da capital (Fórum Eleitoral, Parque Shopping e Central Já do Maceió Shopping) até a próxima quarta-feira. No interior, o serviço é oferecido nos cartórios eleitorais. Embora o valor da multa seja insignificante, o presidente da Corte cita os impedimentos para quem não está quite com a Justiça Eleitoral. 

 

O TRE/AL, segundo ele, trabalha há cerca de um ano para as eleições e espera um pleito tranquilo. "Com o fim do financiamento privado, o pleito tende a ser mais equilibrado", comenta. 

Malta Marques disse considerar um retrocesso o reordenamento eleitoral em Alagoas, decidido pelo TSE [Tribunal Superior Eleitoral], para gerar economia. Com esta medida, as zonas eleitorais foram reduzidas de 55 para 42, no Estado. Além disso, seriam 13 juízes e desembargadores a menos para fiscalizar o processo.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE