Greve de vigilantes paralisa serviços em várias agências bancárias de Maceió
08/06/2018 - 14h55 em MACEIO E ALAGOAS

As agências bancárias localizadas no Centro e alguns bairros de Maceió estão com serviços paralisados devido à greve dos vigilantes. A categoria convocou a mobilização geral após o adiamento de uma reunião com os empresários, agendada na segunda-feira (4), que pede reajuste salarial e melhores condições de trabalho. 

O ato dos vigilantes está acontecendo nesta sexta-feira (8), em frente ao Banco do Brasil, na Rua do Livramento. 

 

Segundo o Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança Vigilância de Valores e Similares no Estado de Alagoas (Sindvigilantes), cerca de 30 agências estão fechadas, inluindo, além do Centro, também o bairro do Farol. 

De acordo com José Cícero Ferreira, presidente do Sindvigilantes, a categoria cobra um reajuste salarial de 7%, aumento no ticket alimentação, melhores condições de trabalho e, ainda, que se mantenha a Convenção Coletiva de Trabalho [CCT].

"Desde janeiro a categoria tenta negociar com as empresas nossas pautas, mas não se entra num acordo. Os empresários querem implantar a reforma trabalhista e dessa forma retirar nossos direitos", afirmou o presidente.

Uma reunião com o Ministério Público estava agendada para discutir o assunto. Com o adiamento, a categoria se reuniu em assembleia e votaram pela paralisação, segundo Ferreira, por tempo indeterminado. "Hoje foram os vigilantes dos bancos, amanhã pode ser da indústria e outros setores", ressaltou.

O Sindicato dos Bancários de Alagoas informou que apoia a paralisação da categoria, que cobra por melhores salários e condições de trabalho. Afirma ainda que, por lei, as agências bancárias não podem funcionar sem a vigilância patrimonial, mas que isso não impede que alguns bancos abram, caso contratem serviços terceirzados.

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE