GGAL crê que orientação sexual motivou execução de 2 jovens em Maceió
21/06/2018 - 18h10 em MACEIO E ALAGOAS

O Grupo Gay de Alagoas (GGAL) acredita que as mortes dos jovens Davi Trindade Cinfrônio, de 18 anos, e Allex de Souza, de 17, têm ligação com a orientação sexual das vítimas. Na tarde desta quinta-feira (21), a entidade se reuniu com o Secretário de Segurança Pública de Alagoas, Lima Júnior, para cobrar uma apuração rigorosa dos casos. As vítimas foram mortas a pedradas e com tiros na cabeça, o que caracteriza execução, segundo a polícia. O secretário assegurou que as forças policiais já estão trabalhando. 

Para o conselheiro estadual LGBT, Jadson Pedro, as mortes têm relação com a orientação sexual de ambos os jovens, já que os dois foram mortos por serem homossexuais. "É claro que os dois foram mortos por serem homossexuais. A sociedade, principalmente a de Alagoas, os rejeita. Venho recebendo muitas denúncias de homossexuais que vêm sofrendo com o preconceito e são perseguidos. Estamos aqui porque queremos acabar com isso. A secretária tem que dar celeridade no caso", destacou.

Nildo Correia, presidente do GGAL, afirmou que não conhecia as vítimas, mas que, segundo relatos, eram pessoas tranquilas. "Fui informado que eles eram estudantes e que moravam no Salvador Lyra. Garotos sem inimizades. Não estou surpreso com esse crime, pois o preconceito é grande em qualquer lugar. No entanto, não vamos nos calar. Viemos aqui porque queremos políticas de prevenção contra esse crime", apontou Correia.

Em entrevista à imprensa, o secretário de Segurança Pública informou que as equipes da Polícia Civil e da Delegacia de Homicídios estão trabalhando em conjunto para solucionar os crimes. "Queremos uma solução. Estamos operando em conjunto para não deixar essa situação impune. A partir dessa reunião, vamos criar uma estratégia para seguir junto com a polícia. As forças policiais estão empenhadas", reforçou Lima Júnior. 

Duas mortes em menos de 24 h

 

 
 

 

Davi Trindade Cinfrônio foi morto na madrugada dessa quarta-feira. Allex de Souza, de 17 anos, que era amigo de Davi Trindade e testemunhou quando a vítima saiu de um bar com os supostos criminosos, foi encontrado morto com dois tiros na região da cabeça na noite de ontem. Com esse assassinato, chega a nove o número de assassinatos de homossexuais no estado de Alagoas somente este ano.  

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE