Após meses de escassez, sururu reaparece na Lagoa Mundaú, em Maceió
09/10/2018 17:49 em MACEIÓ ALAGOAS

Por AL TV

 

Depois de meses de escassez, o sururu, símbolo da culinária e da cultura alagoanas está de volta às águas da Lagoa Mundaú, em Maceió. Apesar disso, os preços baixos e a poluição da lagoa prejudica quem vive da pesca e venda do molusco.

 

 

Devido a populição e a grande quantidade de chuvas em 2017, um fenômeno fez com que o sururu ficasse em falta por nove meses em Alagoas.

 

 

Mas agora já pode ser encontrado em boa quantidade, a depender do dia. “É assim mesmo: um dia tira muito, no outro dia, tira pouco”, conta o pescador Damião dos Santos.

 

 

O preço do quilo fica em média R$ 4,50, se comprado na orla lagunar, e R$ 10 reais nos mercados públicos. “Um quilo de galinha não custa R$ 5, custa R$ 8, R$ 9. Fica muito difícil pra sobreviver”, relata Kesia Cardoso, despenicadeira do Dique Estrada.

 

 

Além disso, a lagoa sofre com a poluição, que pode provocar, no futuro, um novo período de escassez.

 

 

“Com a falta de serviço, se o povo continuar poluindo a lagoa do jeito que está, breve, breve vai acontecer uma coisa pior. Muito pai e mãe de família dependem daqui. Aí a gente vê muita sujeira, vai matando aos poucos. O sururu vai se acabando”, relata uma marisqueira.

 

 

 

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE