No primeiro fim de semana do ano, PRF registra cinco acidentes graves nas rodovias federais de AL
07/01/2019 18:06 em POLICIA

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que no primeiro fim de semana de 2019 foram registrados seis acidentes com 11 pessoas feridas e um óbito durante as fiscalizações que visavam garantir a fluidez no trânsito nas rodovias federais.

Segundo a PRF, de sexta (04) a domingo (07), aconteceram seis acidentes, sendo 5 considerados graves. São eles: um atropelamento de pedestre no município de Rio Largo, uma colisão transversal em Junqueiro, um  capotamento e uma colisão transversal em Porto Real do Colégio e um atropelamento de animal em Palmeira dos Índios. Dessas ocorrências, 11 pessoas ficaram feriadas e 1 veio a óbito.

Ainda conforme dados da PRF, os agentes fiscalizaram 1.132 veículos, 1.025 pessoas e o radar móvel capturou 282 fotos. Além disso, foram realizados 363 testes de alcoolemia e 13 motociclistas autuados por pilotar motos sem capacetes. Há ainda o registro de 64 motoristas autuados pelo não uso de cinto de segurança, cadeirinha para crianças e ultrapassagens indevidas. Ao longo do fim de semana, o Cinema Rodoviário alcançou 230 pessoas, oferecendo palestras e vídeos educativos.

Para a PRF, o excesso de velocidade, a falta do uso de equipamentos de segurança, o uso de celular e o consumo de bebidas alcoólicas são alguns dos fatores que podem contribuir para acidentes graves e muitas vezes fatais no trânsito. Por isso, a PRF reforça que o condutor deve manter atenção constante ao trafegar no trânsito.

Cuidados simples podem evitar acidentes e mortes no trânsito:

Dirigir exige constante atenção e disposição do condutor, além de responsabilidade e consciência de que ações imprudentes podem afetar a própria segurança e dos demais usuários das rodovias. A melhor maneira de evitar acidentes é respeitar as normas de trânsito e ter prudência, ser paciente e sempre que possível realizar testes regulares no veículo a cada seis meses.

Celular x Volante e Bebida x Direção podem ser combinações fatais. Qualquer coisa que afaste ou comprometa a atenção do condutor enquanto no trânsito podem ser considerados como fatores de risco gravíssimos. O uso do celular ao volante, por exemplo, aumenta em até 400% o risco de acidente, enquanto dirigir alcoolizado está entre os cinco principais fatores para a mortalidade no trânsito.

Outros agravantes são o não uso de equipamentos de segurança, especialmente o cinto de proteção para motoristas e passageiros e o capacete para motociclistas: ambos desenvolvidos para proteger o indivíduo em caso de colisão e muitas vezes são capazes de evitar lesões fatais. Estudos da OMS apontam que o uso correto do capacete reduz em até 40% o risco de morte no trânsito e em até 70% as chances de ferimentos graves na cabeça.

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE